Sete dicas para cabeleireiros e esteticistas

Hoje vou partilhar algumas dicas para esteticistas e cabeleireiros. Se é a sua área de trabalho implemente-as, se não é, reflita sobre elas porque algumas são transversais a todas as áreas de atuação. Não desanime, bem sei que são tempos muito difíceis mas é nestas alturas que provamos ao mundo a nossa capacidade de resiliência.

As relações de confiança são essenciais para o sucesso das vendas, por isso promova as suas, mostre aos seus clientes que você é bom, ou boa, no que faz. Partilhe o seu conhecimento, ao fazê-lo está a conseguir o respeito e estima dos seus clientes.
Faça pequenos vídeos ou stories  a ilustrar como podem ter pequenos cuidados consigo próprias, como podem manter a pele, o cabelo, ou as unhas arranjadas e partilhe-os nas redes sociais. Mostre-lhes que realmente se preocupa com eles e que valoriza a sua auto estima. Não se esqueça nunca que os seus clientes são os seus melhores amigos e, se não tratarmos bem os nossos amigos corremos sempre o risco de os perder.
Lembre-se também, que na mesma situação que você estão, infelizmente, vários outros colegas de profissão, que disputam consigo a atenção dos seus clientes e, se cair no esquecimento pode acabar por os perder.
Na dica anterior já lhe mostrei a importância de estar presente e de partilhar e ajudar os seus clientes. Agora digo-lhe que pode aproveitar para vender alguns dos seus produtos que realmente podem fazer a diferença.
Que tal aproveitar o seu conhecimento e dar aconselhamento personalizado sobre os produtos, o que deve usar com cada tipo de pele, de cabelo, etc. De certeza que os seus clientes vão confiar mais depressa em si do que num vendedor de hipermercado.
Crie uma loja online no Facebook e no Instagram ou, se não o souber fazer, fotografe os produtos, explique para que serve cada um, disponibilize-se para aconselhar e para os enviar pelos correios ou por uma transportadora. Acredite que é possível.
Os workshops são fantásticos, neles podemos aprender com bastante mais pormenor como fazer algo que nos interessa. Não tenha medo de ensinar, agende com os seus clientes nas redes sociais procedimentos específicos, crie  expetativa sobre o que vai ensinar, marque uma data, vá dando dicas, vá convidando as pessoas.
Nos workshops você vai conseguir mostrar os seus conhecimentos, vai conseguir ajudar as pessoas a aprender aquilo que não podem fazer fisicamente consigo, vai poder mostrar que produtos está a usar e porquê (se calhar até os vai conseguir vender), vai conseguir manter uma relação próxima com os seus clientes, vai poder falar com eles depois para saber se gostaram, para saber se tiveram problemas, para saber os resultados.
Esta é uma daquelas situações que só lhe traz vantagens, ao ensinar também aprendemos, ficamos próximos dos clientes, ganhamos a sua confiança, podemos vender os nossos produtos e, se realmente investir a sua energia nisso pode mais tarde até conseguir que lhe paguem para participar nos workshops.
Pode ir ainda mais longe se quiser e pedir aos seus fornecedores um patrocínio, afinal, está a mostrar os produtos deles e como os usar. Aqui ganham todos.
Se lhe perguntar se conhece os seus clientes certamente que me irá dizer que sim, mas será que isso é mesmo verdade?
Muitas vezes o que conhecemos é só uma pequena parte e há muito mais para descobrir.
Será que sabe como é que se estão a sentir os seus clientes no confinamento? Já lhes perguntou, já pesquisou os seus perfis nas redes sociais para ver um pouco daquilo que estão a fazer e a partilhar? Porque não aproveitar para fazer isso agora, para tomar a iniciativa de ir à procura deles.
Já pensou que uma simples mensagem da nossa esteticista ou do nosso cabeleireiro, um simples aceno ou um “como estás” pode tornar o nosso dia muito mais feliz? Não se trata de vender, vender, vender. Não, trata-se de se preocupar genuinamente com aqueles que lhe dão a vida a ganhar, trata-se de estar presente.
Aproveite esta “pausa” e reforce laços, aprofunde conhecimentos, partilhe experiencias, mostre-se disponível, pode ficar surpreendido.
Cooperar para competir. Nenhum homem vive isolado no seu mundo e todos precisamos uns dos outros.
Pense naquelas áreas que são um bom complemento à sua, pense, por exemplo, em vestuário. Pense em como você poderá unir esforços com outras lojas e partilhar os seus produtos.
Entre em contacto com essas lojas, fale com eles e veja como podem cooperar, você divulga junto dos seus clientes os produtos deles e eles fazem o mesmo. Você oferece um desconto num futuro serviço a quem comprar artigos de determinada loja e eles fazem o mesmo. Aqui ganham as três partes, você que tem mais exposição, o seu parceiro que vende mais e o cliente que ganha um desconto, também podem eles oferecer um desconto a quem trabalhar consigo claro.
Multiplique os seus contactos por todas aquelas áreas que podem complementar a sua e terá uma rede fantástica em que podem todos operar com inúmeras vantagens.
Se se achar corajoso leve isto mais longe e faça contactos com empresas em que trabalhe muita gente, ofereça-lhes os seus serviços com vantagens, deixe que eles os ofereçam aos seus funcionários. Pode muito bem valer a pena, pode receber menos pelos seus serviços, mas vai estar a multiplicar por muitos mais, vale a pena não vale?
Se está a implementar tudo aquilo que lhe sugeri atrás e mesmo assim lhe sobra tempo aproveite-o da melhor forma. Porque não fazer alterações ao seu espaço de trabalho? Não precisa de fazer renovações de fundo, nem partir paredes, mas também o pode fazer. Faça pequenos melhoramentos, mude as cores, mude a decoração, crie novas áreas de trabalho, faça e documente, tire muitas fotografias, mostre o seu processo. Partilhe-o nas redes sociais.
Em marketing nós sabemos que a perceção do sucesso é tão importante como o sucesso em si, de uma forma muito simples estou a dizer que antes de ser é preciso parecer. Mostre aos seus clientes que está cá para ter sucesso, que está a evoluir, que se está a preparar para os receber com muitas novidades.
As pessoas gostam disso, da novidade (por isso gostam tanto das redes sociais) então aquilo que tem de fazer é aguçar-lhes o apetite, é ir partilhando o que está a preparar, criar entusiasmo, quem sabe se as deixar participar com ideias ou sugestões não possa criar ainda mais excitação, mas tome atenção, não mostre o resultado final, deixe esse para depois do confinamento.
Esta dica é exatamente a mesma que dei no artigo anterior, direcionado para os restaurantes e será, porventura, a mesma que irei dar a todas as áreas que se seguirão. Se não for capaz de agradecer às pessoas que estão consigo, que a escolheram, que lhe dedicaram o seu tempo então, desculpe, mas não as merece.
Um telefonema, uma mensagem, um cartão são mais do que suficientes desde que sejam genuínos. Tem sempre a oportunidade de ficar a conhecer melhor os seus clientes, de saber o que correu bem e menos bem, de evoluir, de crescer. Seja grato então.
Se é cabeleireiro/a ou esteticista espero que consiga ver valor neste artigo. Se já implementa todas estas ações parabéns, está no caminho certo mas, não se esqueça de o partilhar e acrescentar. Todos agradecemos
Cooperar para desenvolver.
Menu